terça-feira, 13 de setembro de 2016

SEM VOCÊ




                     Um dia tive um sonho, onde olhava em seus olhos e
dizia que lhe amo, mas ao acordar nunca sentira tamanha solidão!

Sentada há horas com papel e caneta junto com um pequeno pacote que havia chegado mais cedo do correio, não sabia exatamente o que escrever, só pensava nas palavras que lera a pouco da correspondência.
Sabia de quem era mesmo sem nome do remetente, mas não entendia o porquê. Seria uma forma de tortura-la, pois tudo viera à tona.
Já quase anoitecendo foi à janela, olhava a chuva sem pensar, apenas chorava lágrimas de saudades de um amor que nunca mais voltou. Suas lágrimas simplesmente escorriam, não se ouvia mais nada na casa a não ser sua forte respiração.

Presa em seus pensamentos vazios revivendo a dor de sua perda de alguém a quem sonhou, mas que o destino os separou drasticamente até que seus sonhos se esvaíram.
Voltou para a mesinha e ao tocar na caneta passou a escrever, era uma carta, sua última carta.
Há alguns anos sem saber precisamente quantos, encontrou alguém, um ser que a fez conhecer o mundo e a vida, alguém pela qual ela se apaixonou sem muito esforço. Dizia que ele tinha o dom das palavras que a impressionou de imediato, pois cada palavra pronunciada saía vida. Mesmo tendo um romance curto, houve ali uma intensidade e um sentimento singelo que nunca a abandonara.
Infelizmente um dia traída pela felicidade perdeu seu grande amor. Seu coração junto com seus planos e sonhos fora destruído e preso em uma angústia que a dominava dia após dia. Não conseguia parar de pensar nele, então depois de alguns anos ainda impregnada de dor passou a escrever, mas não escrevia qualquer coisa, escrevia cartas que um dia tinha a intenção de enviá-las para aquele que a deixou.


CARTA - I

Meu querido,
Não sei bem como explanar meus singelos sentimentos, não sei nem se um dia você receberá esta carta.
Lembro-me de quando era criança e sempre imaginava um alguém que surgiria em minha vida inesperadamente e me envolveria em um sentimento tão forte quanto um ser humano fosse capaz de sentir. Alguém que me faria rir, chorar, crescer e amar.
Você foi este ser ao qual me mostrou muito mais que uma simples relação, mas algo que transcendeu minha alma.
Hoje estou aqui pensando nas poucas palavras que poderia dizer, mas a angústia me sufoca e desfalece minha fala.
Desculpe pelo sentimentalismo, mas as lembranças que um dia criamos me atormentam e sonho constantemente em vivê-las pelo menos mais um dia, pois o que você plantou em mim ainda vive.
De quem ainda te ama, desejando toda sua felicidade!

Depois de ler e reler achou ridículo cada palavra, mas de todas tentativas não conseguiu fazer melhor e guardou a carta em um envelope, olhando fixamente por horas se perguntando se deveria entregar e qual seria a reação se por ventura ele o recebesse. Será que teria uma resposta? Não seria melhor enviar um email? Não, ela não suportava a ideia de envolver seus sentimentos em tecnologia, sempre achou que o romantismo se perdeu com esses meios, mas mesmo assim não enviou a carta. Sua covardia fez com que datasse e guardasse na gaveta da mesa.
Com o passar dos meses sempre escrevia cartas expressando seu amor vívido e os lamentos de não tê-lo. Ela era apenas uma mulher que gostaria de ser amada pelo seu amor. Suas noites eram uma tormenta, sem conseguir ter um descanso tranquilo, sempre com pesadelos ou insônias, estava à beira do desespero. Seus pensamentos estavam fixados no pacote, queria entender, mais o abalo foi tão forte que não conseguia se concentrar. Tentou ler um dos muitos livros que comprara para poder esquecer sua realidade e fantasiar os romances que ali estavam escritos.
Tentativa em vão, então sem cogitar abriu o pacote e leu novamente a dedicatória que estava na contracapa do livro que havia ganhado.

“Que nos campos silvestres floresçam sementes de vitórias e conquistas. Claro que tudo isso ao meu lado! Rsrs
Teu ser emana luz e és uma fonte rica de beleza interior e exterior. E que de alguma forma, as palavras que aqui habitam possa lhe trazem alguma inspiração.
De um eterno admirador!!!”

Aquelas palavras não faziam sentido para ela, sabia que era ele, mas por que aquilo, por que não havia entrado em contato ou simplesmente continuar apenas nas lembranças.
“Claro que tudo isso ao meu lado” o que ele queria dizer com isso, será que ele aparecerá novamente, pensava atordoada. Até ser interrompida por batidas na porta. Pálida e trêmula abriu a porta devagar e encontrou uma carta em sua porta, ao abri-la viu que era dele, mas por alguma razão não teve coragem de abrir, pelo menos não até amanhecer.
Sem nem mesmo tomar um café abriu a carta e começou a ler, mas antes de terminar parou e começou a chorar. Não sabia se era de alegria ou tristeza, mas era um choro que não se podia controlar.
Só depois de horas que mais calma terminou a carta e foi aí que resolveu escrever mais uma carta, uma última para terminar com a agonia que carregou durante anos. E desta vez a carta seria entregue.
Abriu a gaveta e retirou um papel e caneta juntamente com todas as cartas feitas, olhando para o livro e para carta recebida começou a escrever freneticamente. Desta vez seus sentimentos estavam confusos com misturas de amor, raiva e tristeza, estava no ápice de seu descontrole emocional.
Após terminar a carta, nem ao menos releu, simplesmente guardou em um envelope e junto com todas as outras cartas envolveu em um embrulho simples, e foi fazer a entrega.
Logo após a triste despedida de seu amado, não dava para acreditar que tudo realmente se acabou. Suas ultimas palavras continuavam soando em sua mente enquanto se afastava mais e mais.  “Eu lhe amo, mais estou sem chão agora, preciso preservar meu tesouro.” Palavras ao qual nunca mais saíram de sua mente.
Caminhando sem rumo e sem saber no que pensar, sentou em um banquinho qualquer da praça e ficou a observar. Nada em especial, apenas observava.
As árvores dançando com o vento, os casais juntos passeando, crianças e animais correndo de um lado para o outro. Todos ali pareciam felizes com suas vidas, porque para ela era tão difícil assim. Será que algum deles tivera alguma desilusão como com a que estava sentindo agora?
Depois de horas ali, foi embora para sua casa, deitou-se e ficou na cama pensando no que deu errado por dias e noites. Mesmo depois de meses não conseguia compreender o que aconteceu, mas nada poderia fazer ali, apenas se lamentar pela perda que seu coração sofria. E assim ficou até não suportar mais e decidir de uma vez pular na sua vida.

CARTA A MINHA AMADA

Para uma flor rara,
Uma mulher que faz qualquer sentimento ser amado, sim és ela, a jovem da cor do pecado.
“Ao Amor”
Escrevo essas palavras, alegando que o amor é a alma da vida, o amor elimina as sombras e faz que o céu fique estrelado e brilhe acima das nuvens.
Quem ama, consegue se amar e perdoar “pensamentemente”, cuidado somente com a instabilidade emocional, ela não expressa uma convicção verdadeira do ato de amar.
Sabe, eu ainda acredito no amor, apesar das inúmeras desilusões causadas ou sofridas, caminho firme em busca do ser amor, do ser amado, esse sentimento não é tão simples já que o mesmo arde em veredas flamejantes.
Tem dias que eu coloco as lentes da realidade, observo a vida, vejo as pessoas aprisionadas em diversos ensejos, onde a maioria aceita ser escuro da ética, da moral, do pseudo culto a dignidade humana. Todos no final recebem grãos da injuria e traição, é como se gastassem a vida, sem ganhar a vida! Louco.
Tem horas que o silêncio é o ato mais leal que fazemos conosco e com os outros, momentos em equilíbrio nosso organismo social.
Um dia eu ouvi, e nem queira saber de quem (...) as frases foram assim, “ame, sem aguardar resposta, sirva, sem pensar em algo em troca. Essa em sua totalidade da mensagem. Tudo és estranho, existem momentos que eu busco as leis do universo para repetir, eu não quero mais ser dominado pelo desastre, tento e busco manter a paz, mesmo nas maiores adversidades.
Aprendi amando ou não, tenho que crescer e amadurecer, esta foi e é a minha decisão.
Eu decido sobre minha vida, sei que há momentos que cresço na solidão, mas não importa, algo bom irá nascer. Eu sou um transformador e tenho fé na minha coragem. Eu sou um Deus! Eu sou JC e sobre o amor afirmo:
O universo se expande e evoluem, estrelas explodem, mundos surgem e movem, tudo flui, e eu sou parte disto.
Eu guardei desde o primeiro beijo seu, seu toque, sua lembrança.... Guardo seu corpo e independente do amanhã, juntos ou não, estarei ao seu lado, você habita em minha alma, minha doce flor, será sábia no coração da vida.


Suas palavras adentraram fundo em seu coração, mas apesar de tudo sua decisão estava firmada e escreveu sua última carta com lágrimas nos olhos.

Meu amor,
Por muito fiquei a cogitar o que escrever, depois de tudo que já passamos, as boas lembranças que ainda carrego e por todas as palavras ditas hoje.
Decidir lhe escrever estas últimas palavras.
Acredito que fantasiar uma história é mais leve do que ter o impacto da realidade.
E não sei se estou pronta para ela.
Eu percebi nesses dias que passaram o quão insignificante me deixei tornar, o quanto baseie minha vida em coisas que queriam e não no que realmente idealizava.
E sabe por quê?
Simplesmente por nunca ter idealizado algo, sempre permitir que minha vida se tornasse vazia. E assim permanece.
Suas últimas palavras foram um “chacoalhão” e percebi que a única coisa que almejei verdadeiramente nunca terei...
Dessa forma terei duas escolhas a fazer. Ou aceito ou continuo negando.
Assim me despeço, sabendo que lhe amarei até a morte, melhor dizendo que esse amor causou minha morte... Já não sei a ordem.
Últimos beijos de quem pelo restante da vida lhe amou. Não suportaria descobrir que em algum momento deixei de amá-lo.
As cartas foram cessadas. A morte foi vencida pela vida angustiada. E o amor, foi enclausurado no tempo e no coração daqueles amantes que escreveram para si, o sentido de amar o amor.


FIM
Postagem mais recente Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário