sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Eu sou o que sou e basta!



Acredito em uma ideia.
Adoro o mundo das ideias, sou meio que um Thomas Morus, criando utopia, utopias...
Essa filosofia tem um teor muito sério, já foi dito no artigo anterior – Quem é você!?(Clica aqui para ler).
Voltando ao rigor das palavras...

Tem dias que me vejo sendo um asco de pessoa, fico perplexo com isso, como posso ser desta forma? Agir e pensar tais asneiras?
Ahhhh, complicado. Ao mesmo tempo, quando acontece esses pensamentos, eu digo até gritar com meu cérebro, dane – se em ser simpático com o outro, não vou agradar ninguém, não quero saber o que você pensa de mim, eu sou o que sou e basta!
Não quero mais digerir toneladas de maquiagem para ficar “bonitinho” para seus olhos e para esta porcaria de sociedade. Seu interior é que nem o meu, uma bosta, um poço de moralidade e honra perdida na amarração das leis e dos mais fortes.
Nossa filosofia tenta reaver um pouco a essência da escolha sozinha. Não quero receber de fora para dentro ideais para gerar uma decisão. Eu decido e ponto. Não vou mais aceitar a frase: “Você e estranho”, minha veemência propaga: Não sou estranho, sou o que sou e basta!

Minha autoestima se chama “EU”, gosta desta junção. O eu grita: Sou o que sou e basta”. Portanto, guarde esta frase, estimule seu comportamento agir como tal, clame uma mudança. Antes, por favor, não perca seus sonhos na sua própria pequenitude.
Este foi um pouco mais da nossa filosofia.



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário