quinta-feira, 2 de março de 2017

Banheiro Público – Terminal Bandeira


Final de um dia de Carnaval, imaginando um banheiro ao extremo de imundo, já me preparando para o pior, não foi tão diferentes de outros dias. Por incrível que pareça este banheiro estava o que pode-se dizer normal, não era o mais limpo, mas já vi piores.

Mais pesada tarefa não podia ser imposta do que isso de contar-te minha surpresa indizível. No entretanto, porque dar testemunho possa o mundo de que meu fim de dia não foi de tão pior causado por um medo de do que viria, mas por puro sentimento de alívio, 
vou dizer-te quanto me permitir passar por essas situações que hoje compartilho.

Muito tempo se passou sem que tornasse costume de minha bexiga querer há todo momento se esvaziar, de tal modo que – oh fato extraordinário! – que me vi obrigada a frequentar certos banheiros que normalmente jamais entraria.

Terminal Bandeira era um desses, ainda em dias como esses. Na mesma hora, na mesma situação resolvi compartilhar minha vivencias, uma mulher do banheiro de igual fardo que não aguenta mais banheiros imundos.

Oh! Se os banheiros assim fossem como este, talvez jamais pensasse em escrever sobre.
Quando fui dar de encontro com este banheiro, com tamanha energia ruim, que a minha esperança de não desmaiar pudesse realmente acontecer, houve uma surprese de muita satisfação, onde o odor era pior que o próprio banheiro que não estava tão ruim, talvez uma descarga ou várias não feitas.


Agora, pelo amor dos que utilizam fazer-me o obséquio de manter este recinto o melhor possível, para que continue a funcionar.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário