segunda-feira, 27 de março de 2017

DESILUSÃO



Voar para longe.
Fugir do amor,
Fugir de mim...
Quero a solidão
Desejo o mal contido nas sombras
da efêmera escuridão.
Eu me sinto feliz,

Congelado no tempo
dos deuses, da natureza
parado no vento.
Eu sou eu,
Um ser sem mar,
que quando bebeu da fonte
soube apenas se afogar
Choro em demasia,
vômito sangue e angústia
e partes do coração
acabou um amor passado
vivo no rio da desilusão!



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário