segunda-feira, 3 de abril de 2017

Culpado por amar



Condenado por influencias
Abandonado por seu próprio ego
Inconformado com a culpa
Destruído pelo silêncio

Uma escolha a cada passo
O destino nunca existiu
Escolheu e se matou
Por um motivo arruinou-se

Anda sem olhar para o lado
Segredos vergonhosos
Tenta apagar um passado
Que nunca irá naufragar

Vontades, decisões e fazeres
Uma coisa errada 
E já perde a cabeça
Fracasso da própria vida

Para no fim 
O amor que nunca existiu

Uma lágrima 
Nada mais que isso
Recompensa de algo nunca feito

Embrutecido
Sem sentir nem sofrer
Sem cair sem lutar

Corre rápido até parar
Encontra um ser
Desprende de si

Tudo por um singelo sentimento
Que por mais belo que seja 
O destruiu de tanto amar.
Culpado por amar
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário