terça-feira, 11 de abril de 2017

Quando eu Acordo


Itália - Veneza




Robert estava tenso naquela manhã, fora despertado por um estranho telefonema, ainda zonzo de sono atendeu rudemente pelo despertar.

- Que porra, isso é hora de ligar?

Calou-se logo que reconheceu a voz. Ficou escutando por uns 10min e limitou-se apenas a dizer. – Entendido Senhor.

Ainda sentado na cama, esfregou os olhos para afugentar o sono, entrou no chuveiro e tomou um banho rapidamente , vestiu seu melhor terno e saiu sem nem ao menos tomar o café.

Chamou um taxi e seguiu pela avenida principal Venitte, era uma rua sem saída, havia apenas um beco estreito à direita de Robert que entrou logo após pagar o taxista.

No meio do beco havia uma porta de um bordel que caia aos pedaços, ele entrou e saiu depois de uns 15min, estava feito, fora fácil demais pensou ele enquanto caminhava até a avenida. Ao perceber que estava sendo seguido, um desespero tomou conta dele e acelerou os passos tentando encontrar um jeito de despistar os dois homens altos de ternos pretos.

Entrou no primeiro taxi que encontrou tirou o homem que estava na frente do volante e pisou o pé no freio, enquanto dirigia ligou para Smith, seu superior.

- Smith sou eu o que aconteceu, achei que era apenas para matar o sujeito, agora estão me seguindo, sua voz agora estava alterada.

- Calma Robert, eles não são falhos para você, sei que dará conta deles.

A ligação foi rompida.

Robert olhou para trás para ver se ainda estava sendo seguindo, havia dois carros na frente dois homens desconhecidos, Robert sacou a armar e atirou no carro logo atrás que capotou em cima de seus seguidores. Isso dará tempo para escapar.

Sendo despertado de seus devaneios com o barulho da explosão, satisfeito voltou para casa deixando o Taxi em um lixão que havia na bairro vizinho, exausto com muita enxaqueca, lembrara que não comeu nada durante toda manhã, mas não estava com fome.

Durante o restante do dia ele permaneceu na casa, com seu cachimbo e sua máquina de escrever olhando pela janela a marca do pneu que ficou no asfalto.


Logo em seguida depois de muito pensar escreveu sua carta de demissão.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário