segunda-feira, 17 de abril de 2017

TRAÇOS DA SOLIDÃO




Introduza sangue
Em minha alma.
Enche –me as veias de tinta
Para explodir meu crânio.

Com o toco dos dedos, eu rabiscava
Esfregava no papel
A imagem dos meus olhos
Não sei porque? Saia toda borrada.

Gritei tintas da cor:
Azul, verde e amarelo.
Pensei em tudo, em nada...
Gosto somente do singelo.

Nas minhas caminhadas
Espanto as aflições
dilaceramentos,
Pensamentos,
Eu literalmente cato os ventos.

Eu proporciono alegorias, hipérboles e fantasia.
Eu amo versos, eu amo, eu amo o pior.
Na noite ouço canções das minhas vértebras,
Mesmo estando tão só...
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário