terça-feira, 11 de julho de 2017

Antonin Artaud e o Surrealismo



O surrealismo como movimento literário, como Freud dizia o uso inconsciente criativo do sujeito, Artaud já esta em um processo ao qual ele já explora elementos cruciais que vemos no teatro da crueldade como, por exemplo, livrar o espectador das regras do teatro convencional, que ele como artista quis quebrar, pois tem um cinismo muito forte quanto às regras principalmente na arte.

Muitas situações ele queria despertar o inconsciente da platéia e por isso dentro do surrealismo na França e principalmente no teatro ele se transforma em um ícone, porque outros começam a trabalhar dessa forma. Ele consegue transformar posteriormente expandindo para outros.

Ele é contra o partido comunista que foi a causa de seu rompimento com o movimento.
Ele acreditava que se o surrealismo juntasse com o socialismo chegaria um momento em que eles perderiam a liberdade, porque eles estariam presos a um ideal, tendo que trabalhar dentro da filosofia.

O marco de início do surrealismo foi a publicação do Manifesto Surrealista, feito pelo poeta e psiquiatra francês André Breton, em 1924. Neste manifesto, foram declarados os principais princípios do movimento surrealista: ausência da lógica, adoção de uma realidade "maravilhosa" (superior), exaltação da liberdade de criação, entre outros.

Artaud como conhecemos até pela sua principal obra Teatro e seu Duplo ignorava a lógica, usando apenas sua liberdade nas criações dos trabalhos.


Mas não se contentava, pois o poeta sempre quis se expandir mais e mais até que sua própria filosofia e seu ser eram a mesma coisa
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário